1. Home
  2. Alimentos
  3. Setores alimentares
  4. Frutas e vegetais
Frutas e vegetais

Frutas e vegetais

As frutas e vegetais são ricas em vitaminas e essenciais numa dieta saudável. Quer sejam consumidas frescas ou processadas, devem estar presentes na maioria das refeições.  

A fruta, os legumes e os cereais estão em grande maioria numa dieta saudável e equilibrada.

As questões de segurança e qualidade devem ser geridas ao longo de toda a cadeia de abastecimento para garantir produtos seguros e de qualidade que satisfaçam as necessidades dos consumidores (agricultura convencional, biológica, agricultura integrada, com zero de resíduos, etc.). Para fazer face a um mercado em tão rápida evolução, os fabricantes devem poder contar com laboratórios acreditados para garantir a qualidade e a segurança dos seus produtos.

Frutas e vegetais: Segurança e Qualidade

Em 2020, de acordo com Safety HUD e com base nos dados do RASFF, foram notificados 699 eventos. Este número aumentou 12% em relação a 2019.

A principal fonte dos eventos está ligada a contaminantes químicos. Entre eles:

  • Os pesticidas foram a primeira causa (483 acontecimentos em 2020, aumentando em 44% vs 2019).
  • As micotoxinas foram a segunda causa

Enquadramento Legal

A nível europeu, o sector das frutas e produtos hortícolas é regulado pelo Regulamento (CE) 1308/2013 e pelo Regulamento (UE) 201/1809 para a comercialização de frutas e produtos hortícolas.

A fim de proteger a saúde dos consumidores, a indústria das frutas e vegetais tem de cumprir os requisitos de vários regulamentos de segurança alimentar.

Regulamento (CE) 178/2002 que determina os princípios e normas gerais da legislação alimentar, cria a Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos e estabelece procedimentos em matéria de segurança dos géneros alimentícios
Regulamento (CE) n.º 852/2004 relativo à higiene dos géneros alimentícios
Regulamento (CE) 2073/2005 relativo aos critérios microbiológicos aplicáveis aos géneros alimentícios
Regulamento (CE) 1829/2003 relativo a géneros alimentícios e alimentos para animais geneticamente modificados
Regulamento (CE) 396/2005 relativo aos limites máximos de resíduos de pesticidas no interior e à superfície dos géneros alimentícios e dos alimentos para animais, tanto de origem vegetal como animal
Regulamento (CE) 1881/2006 que fixa os teores máximos de certos contaminantes presentes nos géneros alimentícios
Regulamento (UE) 2018/848 sobre produção biológica e rotulagem de produtos biológicos

Como é que a Mérieux NutriSciences pode ajudar?

A Mérieux NutriSciences oferece um serviço analítico completo para garantir a segurança e qualidade da fruta (incluindo fruta desidratada), legumes (incluindo leguminosas), ao longo de toda a cadeia de produção.

Pesticidas

Os produtos fitofarmacêuticos estão certamente entre os contaminantes mais famosos, especialmente naquelas práticas agrícolas que utilizam em excesso produtos sintéticos. Apesar da rigorosa regulamentação europeia sobre a natureza e a quantidade de moléculas permitidas, ainda existem dúvidas sobre a segurança, também devido à não avaliação do efeito de mistura com especial preocupação para os grupos de consumidores mais vulneráveis, como as crianças.

A Mérieux NutriSciences tem um laboratório dedicado à análise de resíduos de pesticidas em frutas e vegetais, cereais, frutos secos, desidratados e sementes.

  • Análise multiresíduos (> 900 princípios ativos) e determinações individuais
  • Análise multiparâmetros
  • Pesticidas aniónicos e catiónicos
  • Perfis analíticos dedicados a frutas (incluindo frutos secos), vegetais (incluindo leguminosas), cereais, alimentos biológicos, alimentos para bebés, rações
  • Cumprimento da atualização da norma científica UNI EN ISO 15662:2018 (procedimento QuEChERS com e sem hidrólise)
Resíduos de pesticidas em alimentos (Saiba mais)

Micotoxinas e Alcalóides

Embora conhecidas há vários anos, as famílias de micotoxinas e alcalóides são tão diversas e estão em constante aumento devido ao clima e à intensificação das práticas agrícolas, que são agora uma preocupação emergente constante.
Os alcalóides são produzidos pelas plantas como mecanismo de defesa e podem acumular-se nas culturas em condições de stress das plantas; as micotoxinas são fúngicas na natureza e acumulam-se no campo ou durante o armazenamento devido a condições que favorecem o crescimento de fungos (elevada humidade/pluviosidade seguida de altas temperaturas). Está agora estabelecido que estes compostos atuam sobre o organismo animal por ingestão, inalação ou por simples contacto, realizando uma série de efeitos negativos diretos ou indiretos.

  • Análise multiresíduos LC-MS/MS para micotoxinas com limites legais, incluindo os seus principais metabolitos
  • Toxinas de Alternaria (tomates, cereais, maçãs)
  • Patulina
  • Ergotoxinas
  • Alcalóides do tropano
  • Alcalóides pirrolizidínicos
  • Glicoalcalóides
Análise de micotoxinas em alimentos (Saiba mais)

Contaminantes inorgânicos

Os contaminantes inorgânicos entram na cadeia alimentar através de água e solos contaminados que, por sua vez, afetam vegetais e animais.

  • Metais pesados: Chumbo, Cádmio, etc.
  • Arsénico inorgânico
  • Nitritos e nitratos
  • Ácido cianídrico
Metais pesados em alimentos (Saiba mais)

Organismos geneticamente modificados (OGMs)

Na Europa, existem vários OGM autorizados a serem colocados no mercado, cuja presença deve ser especificada no rótulo quando acima de 0,9%.

  • Pesquisa de OGMs
  • Identificação de eventos OGM específicos
  • Quantificação
Análise de OGM (Saiba mais)

Próximos Eventos, Formações, Webinars

Share it with your network
Perguntas mais Frequentes (FAQs) Provavelmente a resposta à sua dúvida está aqui!
Consulte aqui
Mérieux NutriSciences Corporation ©2022