alimentos_base_plantas_blant-base.jpg

Continua a aumentar a procura de produtos alimentares à base de plantas (plant-based foods) por parte dos consumidores Europeus. Para responder a este crescimento do mercado os produtores de alimentos (ingredientes e/ou produtos acabados) têm desenvolvido novas referências de forma contínua nos últimos anos.

Alimentos à base de plantas: o que são?

Nos últimos dois anos o consumo europeu de produtos à base de plantas cresceu 49%. Este crescimento do mercado, baseado em plantas, tem sido fortemente impulsionado pelo Flexitarianismo. (1)

(1) ProVeg International (2020): European Consumer Survey on Plant-based Foods – Describing the product landscape and uncovering priorities for product development and improvement. Report. Berlin. https://smartproteinproject.eu/

Atualmente, as alternativas à base de plantas para produtos de origem animal dividem-se nas seguintes categorias principais:

  • Substitutos do leite.
  • Substitutos da carne.
  • Outros produtos à base de plantas (ovos à base de plantas, ingredientes à base de plantas, pescado à base de plantas...).

As alternativas à base de plantas para os lácteos e a carne contêm, principalmente, soja, amêndoa, arroz, trigo, aveia e coco. Os alimentos à base de plantas incluem bebidas, alternativas ao iogurte, sobremesas, natas, gelados, queijo e pastas para barrar bem como tofu, tempeh, seitan e, como alternativas aos produtos da carne, temos os hambúrgueres à base de plantas ou refeições prontas para consumo.

De acordo com o inquérito aos consumidores da União Europeia (UE), os produtos à base de vegetais mais adquiridos são os alternativos à carne e aos lacticinios, embora existam variações nos padrões de consumo e de categorias de alimentos entre os diversos países europeus. Os consumidores deste tipo de produtos consideram que não existem opções suficientes em cada categoria de alimentos. Além disso, os produtos alimentares à base de plantas são considerados dispendiosos e, em alguns casos, ainda são necessárias melhorias quer no seu sabor quer na sua textura. Para satisfazer este aumento na procura os produtores, distribuidores e empresas dos serviços ligados ao setor alimentar trabalham continuamente para fornecer soluções inovadoras alternativas à carne, aos laticínios e ao pescado, incluindo alternativas vegan.

Os fabricantes europeus de produtos alimentares à base de plantas encontram-se também associados à promoção de regimes alimentares à base de plantas, no sentido de estimular padrões de consumo alimentar mais sustentáveis e saudáveis.

 

Segurança e Qualidade dos produtos à base de plantas

Alguns dos principais desafios para as alternativas à base de plantas em termos de segurança e qualidade dos alimentos são:

  • Bactérias formadoras de esporos a partir de matérias-primas (plantas e sementes) que sobrevivem ao aquecimento e podem produzir toxinas.
  • Alergénios (de ingredientes à base de plantas).
  • Bactérias patogénicas.
  • Micotoxinas.
  • Parasitas (a partir de proteínas de insetos).
  • HAPs, nitrosaminas e aminas aromáticas heterocíclicas podem também ocorrer em alternativas à base de plantas.
  • Metais pesados, pesticidashexano.
  • Antinutrientes. As sementes de leguminosas e outros ingredientes podem conter, por exemplo, inibidores de proteínas.
  • Sabores estranhos (off-flavors) produzidos durante o processamento dos materiais vegetais 
  • Formulação, reformulação, estudos de vida útil e de validação de processos serão necessários para garantir as datas de validade e segurança dos novos produtos.
  • Os produtos alternativos à carne têm pH quase neutro e alto teor de proteína e humidade, tornando-os suscetíveis ao crescimento microbiano. 

A dieta vegana exclui alimentos de origem animal, como carne, incluindo peixe, bem como produtos derivados de animais, como laticínios e ovos. No caso dos produtos veganos, torna-se assim necessário proceder à identificação de espécies.

 

Regulamentação

O setor europeu de produtos à base de plantas rege-se pela regulamentação geral da UE sobre os géneros alimentícios::

  • Legislação geral dos géneros alimentícios - Regulamento (CE) n.º 178/2002
  • Regras gerais de higiene dos géneros alimentícios - Regulamento (CE) n.º 852/2004
  • Rotulagem - Regulamento (UE) n.º 1169/2011
  • Alegações nutricionais e de saúde  - Regulamento (CE) n.º 1924/2006
  • Aditivos - Regulamento (CE) n.º 1333/2008
  • Aromas - Regulamento (CE) n.º 1334/2008
  • Fortificação com vitaminas e minerais - Regulamento (CE) n.º 1925/2006
  • Contaminantes - Regulamento (CE) n.º 1881/2006, Regulamento (CEE) n.º 315/93 do Conselho, Regulamento (CE) n.º 333/2007
  • Acrilamida - Regulamento (UE) n.º 2017/2158
  • Pesticidas - Regulamento (CE) n.º 396/2005
  • Irradiação - Diretiva n.º 1999/2/CE
  • Solventes de extração - Diretiva n-º 2009/32/CE
  • Controlos oficiais - Regulamento (UE) n.º 2017/625

Algumas Associações Europeias, durante 2020 e 2021, lançaram campanhas para exortar os decisores políticos da UE, e de alguns outros países, a tomarem medidas para apoiarem ativamente os alimentos à base de plantas. Estas campanhas tinham como objetivos: i) promover informações claras sobre os alimentos à base de plantas que orientem e habilitem os consumidores a fazerem escolhas mais saudáveis e sustentáveis; ii) encontrar condições equitativas entre os produtos à base de plantas e de animais, a fim de garantir aos consumidores igualdade de acesso a alimentos saudáveis e sustentáveis; iii) permitir que os fabricantes de produtos alimentares comuniquem claramente os seus produtos aos consumidores através da utilização de terminologia comummente aceite e, iv) criar um acesso equitativo ao mercado para os alimentos à base de vegetais em toda a Europa e eliminar as barreiras existentes.

Os produtores devem basear os seus controlos de segurança e de qualidade para satisfazer as necessidades do mercado em termos de:

  • Novas formulações, novos ingredientes, soluções inovadoras.
  • Rastreabilidade da cadeia alimentar.
  • Qualidade nutricional.
  • Segurança sanitária.
  • Seleção das matérias-primas.
  • Normalização das melhores práticas.
  • Apresentação do produto (embalagem, publicidade).

Adicionalmente, esta categoria está a mudar muito rapidamente com a aprovação de novos alimentos que poderão ser utilizados como matérias-primas nos alimentos à base de plantas.

 

Descubra como os serviços da Mérieux NutriSciences podem ajudá-lo a cumprir os requisitos de segurança e qualidade na Europa:

Fornecemos suporte a toda a cadeia alimentar para os produtos à base de plantas: ingredientes à base de plantas, alternativas de carne e de laticínios, alternativas de ovos e todos os produtos finais com ingredientes à base de plantas.

Os nossos principais serviços para esta tipologia de produtos são:

Ensaios microbiológicos

  • Microrganismos.
    • Bolores e leveduras, Salmonella spp., Listeria monocytogenes, Listeria spp., Staphylococcus, Escherichia coli, Enterobacteriaceae, Bacillus cereus, Clostridium, ...
  • Estabilidade microbiológica.
  • Vida útil.
  • Vida útil acelerada.

Ensaios físico-químicos

  • Composição.
    • Análise nutricional, minerais e metais pesados, incluindo arsénio inorgânico, vitaminas, perfil de ácidos gordos, colesterol, aminoácidos, isoflavonas, polifenóis, taninos, fitoesteróis, ácido cianídrico, compostos fenólicos, entre outros...
  • Contaminantes.
    • Dioxinas e PCB similares a dioxinas, micotoxinas, contaminantes de processo: acrilamida, MCPD glicidol e seus ésteres, furanos e metilfuranos, hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (HAP), carbamato de etilo, aminas, hidroximetilfurfural, pesticidas (inseticidas/herbicidas/fungicidas/cloratos e percloratos), melamina e seus análogos, peróxido de hidrogénio, entre outros...

Ensaios biomoleculares

  • Identificação das espécies: q-RT PCR
  • Análise de alergénios: PCR, Elisa, LC-MS/MS.

Ensaios físicos

  • Partículas estranhas.
  • Defeitos de produto.
  • Pragas.

Assessoria técnica

  • Serviços de rotulagem: validação da rotulagem, validação de alegações.
  • Serviços de consultadoria: Implementação de requisitos dos referenciais da BRCGS para alimentos à base de plantas, vegan, sem glúten, sem lactose, Consultadoria e pareceres técnicos para produtores e associações
  • Auditorias a fornecedores.
  • Auditorias internas.
  • Avaliação da embalagem.
  • Formação

Segurança Alimentar

  • Monitorização ambiental.
  • Validação de limpeza.
  • Auditorias a fornecedores.
  • Auditorias internas.
  • Validação de processos
  • Avaliação da formulação
  • Serviço de gestão de crises (24h/365d)
  • Referenciais BRCGS para produtos à base de plantas e vegan.

Sustentabilidade e Embalagem

  • Ensaios em materiais de embalagem de alimentos.
  • Ensaios de migração global e específica.
  • MOSH e MOAH.
  • Biodegradabilidade e compostabilidade.
  • Serviços de consultadoria.

Análise sensorial e de consumo

  • Ensaios com consumidores.
  • Ensaios internos ou externos com painel de peritos.
  • Consultadoria.
  • Formação do painel interno de peritos.