3 Dezembro 2021
Resultados do primeiro inquérito, à escala da EU, sobre a autenticidade das plantas aromáticas e das especiarias

A Comissão Europeia publicou os resultados do primeiro plano de controlo coordenado sobre a autenticidade das plantas aromáticas e das especiarias, levado a cabo por 21 Estados-Membros da UE, da Suíça e da Noruega.

Com o objetivo de proteger os consumidores de produtos fraudulentos e potencialmente inseguros, as autoridades nacionais responsáveis pelos controlos alimentares e a Comissão Europeia (CE), reuniram pela primeira vez a sua experiência e recursos com foco no setor das plantas aromáticas e das especiarias.

A JRC efetuou quase 10 000 análises em 1 885 amostras, utilizando tecnologia avançada para analisar a autenticidade de seis diferentes plantas aromáticas e especiarias.

A percentagem de amostras, que foram consideradas em risco de adulteração, foi de 17% para a pimenta, 14% para os cominhos, 11% para a curcuma, 11% para o açafrão e 6% para o pimentão-doce /chili. Os orégãos foram identificados como os mais vulneráveis, com 48% das amostras em risco de contaminação, na maioria dos casos, com folhas de oliveira.

Com base nestes resultados, a Comissão já solicitou aos operadores um plano imediato de ação para retificar a situação, que é prejudicial quer para os interesses e a saúde dos consumidores quer para o próprio setor das plantas aromáticas e especiarias, assim como para os operadores com práticas leais.

A Comissão convidou, igualmente, as autoridades nacionais a aumentar os controlos oficiais no setor com o objetivo de prevenir práticas fraudulentas e sancionar os autores de fraudes.

O relatório da JRC pode ser lido na íntegra em:

https://ec.europa.eu/food/system/files/2021-11/food-fraud_action_herbs-spices_report_jrc126785_0.pdf

 

Fonte: European Comission, em 25 de novembro de 2021