30 Setembro 2021
|   NOTíCIAS DA MéRIEUX NUTRISCIENCES
Condução de estudos sensoriais com crianças

O mercado de alimentos e produtos infantis está em constante crescimento e as crianças têm uma influência crescente sobre as decisões no momento de compra.

Alguns aspetos da preferência alimentar são inatos: nascemos com gosto pelo doce e antipatia pelo amargo ou ácido. O facto dessas preferências estarem programadas nos nossos cérebros faz sentido do ponto de vista evolutivo - ao procurar comida, os nossos ancestrais foram guiados pelas suas preferências alimentares de forma a encontrar alimentos ricos em energia calórica (como frutas doces) e evitar plantas amargas e potencialmente venenosas. No entanto, embora a eleição de sabores básicos possa ser intrínseca, as preferências por alimentos específicos são amplamente aprendidas ao longo do tempo, tendo em conta a cultura, o ambiente e a exposição a cada tipo de alimentos.

 

Perceção sensorial das crianças

O número de papilas gustativas nas crianças pode ser até cinco vezes superior ao dos adultos (10.000 vs 2.000), facto que não leva a uma sensibilidade aumentada do paladar porque a inervação das papilas gustativas das crianças não é tão desenvolvida e funcional quanto em adultos. Testes sensoriais com crianças podem, por isso, fornecer valiosos dados na fase de desenvolvimento de produtos. As crianças devem ser encaradas como uma população especial, com um ambiente de teste e protocolo apropriados porque apresentam uma ampla gama de fatores cognitivos e períodos de atenção que diferem de idade para idade. É importante ter em conta a opinião das crianças tanto em estudos de pesquisa básica (compreensão das perceções sensoriais de bebés, crianças e adolescentes), como em avaliações sensoriais (testes de discriminação e/ou análise descritiva) ou testes de consumidores.

Crianças com mais de 2 anos podem realizar testes de preferência (entre duas amostras). Testes mais complexos, como testes de escala hedónica, devem ser realizados em crianças com idade superior a 4 anos, desde que sejam utilizadas escalas adequadas a cada idade. Crianças de 6 a 10 anos podem também realizar testes de discriminação, como testes triangulares. De forma a responder a este desafio, foi introduzida uma escala de teste, semelhante à escala hedónica tradicional de 9 pontos. No entanto, nesta versão, as âncoras verbais associadas à escala são mais adequadas para crianças - em vez de usar termos como "Gosto extremamente" e "Desgosto extremamente", por exemplo, são utilizados termos como “Super bom!” e “Super mau!”. Adicionalmente, existe ainda a possibilidade de incluir emojis/figuras, de forma a facilitar a compreensão. Esta escala (denominada Peryam e Kroll) é amplamente utilizada na indústria, mostrando um desempenho melhor do que a escala para adultos na determinação da preferência entre as crianças.

A Mérieux NutriSciences dispõe de um painel de crianças preparado para qualquer tipo de teste de Análise Sensorial. Saiba mais sobre os nossos serviços aqui.